sábado, 11 de setembro de 2010

LIVRO DIDÁTICO E AS TECNOLOGIAS

Após a visita à Bienal do Livro, me senti voltando no tempo, tempo do livro impresso, informações em folhas impressas e ai, temos na escola o livro didático,produzido no ano anterior, ou seja: Cadê as informações em tempo real? Tá ai, fui pesquisar, sobre o livro didático e as tecnologias..
No texto de Rodiney Marcelo, encontramos uma nova forma de fazer escolar, pois com a globalização, ou seja, universalização dos povos, onde se apresenta um caráter inclusivo em tempo e espaço. Essa inclusão se dá por particularidades que devem ser respeitadas.

A escola sempre foi e ainda é uma máquina “engessada” de formar cidadãos críticos e agora passa a não moldar mais, mas sim ser “moldada” pela sociedade. Atualmente, a escola tem de desenvolver uma prática contextualizada à realidade do aluno “O aluno forma a escola e não mais a escola forma o aluno” e não mais “despejar” um conteúdo elaborado por técnicos.

Tendo em vista essas mudanças que estão ocorrendo, fazer uma educação preocupada com as necessidades dos alunos, discutiremos a inserção das TIC’s como forma de facilitar o processo de ensino-aprendizagem e inserção do presente jovem na sociedade tecnológica.

Para um educador progressista atuar de forma eficiente no uso das TIC’s , faz-se necessário um embasamento teórico, levando-o a descobrir novas formas de conhecer e atuar no seu campo de trabalho.

Esse repensar das políticas educacionais, onde se assume responsabilidades coerentes ao momento de mudança, todos devem participar.

Com o uso das ferramentas tecnológicas, o tempo e o espaço não são mais problemas, pois um sistema educacional se faz em um espaço de formação inclusiva, respeitando as diferenças, justamente pelo profundo conhecimento do indivíduo e seu espaço.

O uso dessas tecnologias ainda é limitado, pois a idéia de que o computador pode vir a substituir o professor ainda perdura. As TIC’s tem de ser encarada não como soberana ao professor, mas sim como ferramenta de interlocução entre professor e aluno no processo que deveria ter o formato somatório à prática docente, no que se refere a metodologia,objetivos e conteúdos.

A escola tem de se resignificar o tempo e os espaços de aprendizagem. Um exemplo disso seria o livro didático escolhido no ano anterior, que ele nos traga dicas e complementos que envolvam outras mídias. Ex. Sites de pesquisa; recomendações de livros e filmes; atividades de expressão oral envolvendo rádio.

A maioria dos livros didáticos, no manual do professor, vem sugestões para aprofundar o conteúdo na internet, interagindo o aluno na sociedade, fazendo da sua aprendizagem mais significativa e próxima da sua realidade.

O livro didático na verdade pode ser encarado como um eixo de temas a serem trabalhados nas séries/anos e a partir desses temas, aprofundar de acordo com o perfil da turma e sua realidade.