quarta-feira, 24 de agosto de 2016

TEXTOS MATEMÁTICOS, INTERPRETAÇÃO


Na matemática, os alunos encontram dificuldades na  a leitura e interpretação de textos matemáticos. Muita das dificuldades encontradas nas aulas de matemática é justamente a leitura e interpretação das resoluções de problemas.
Os alunos encontram dificuldades em compreender textos matemáticos, pois existe uma ausência de um trabalho específico com o texto problema. O texto problema é carregado de conceitos específicos em matemática que, nem sempre são de conhecimento cotidiano do aluno. – total, diferença, ímpar, média, volume, produto.
Na leitura de um texto, existe uma interação entre leitor e autor, ou seja, ler não é apenas decodificar os signos, mas “dialogar” com o texto.
Na matemática, como nos afirma Fonseca e Cardoso (2005) in Escritas e Leituras na Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. pp.63-76  requer, como em qualquer outra disciplina, o ato da leitura. Trabalhar em sala de aula, atividades textuais que demandam conhecimentos matemáticos para serem lidos.
O texto de um problema envolve não apenas a linguagem, mas elementos matemáticos que nem sempre são claros para os alunos e sem esse conhecimento, não é possível avançar na interpretação de uma “resolução de problema matemático”. Em um texto matemático, trabalham-se dois tipos de linguagens diferentes – as palavras e os símbolos matemáticos.
Como qualquer outro tipo de leitura, se faz necessário trabalhar;
Vocabulário matemático. Aqui podemos formar, junto com o aluno, um dicionário, com os termos e frases com significados matemáticos.
Coesão textual. Enfatizando a coerência textual, se articula a pergunta com o restante do texto.
Dados numéricos. O aluno retira em separado, os dados numéricos do problema. Assim ele pode observar os dados a serem calculados.
Ausência de dados numéricos. O aluno explora o texto e a partir dele, indica os dados numéricos implícitos no contexto.
Escrita matemática: A escrita serve como forma de organizar as ideias para comunicar o pensamento matemático utilizado para a resolução de um problema.
 A compreensão matemática não se dá somente na leitura e escrita, mas também no diálogo entre as partes e seus conhecimentos prévios sobre o assunto, nos quais deverão ser explorados.
A criança trás consigo a noção de “quantidade”, “maior”, “menor”, “mais do que eu”, “menos do que eu”, no seu cotidiano. Só ainda não sabe colocar essa verbalização em forma matemática. Esse diálogo é muito importante, pois ai se faz a relação entre a escrita, a fala e a escrita matemática.