sábado, 20 de março de 2010

ACERVOS COMPLEMENTARES. PARA QUE TANTOS LIVROS?

Esses materiais complementares, a sua função é o de oferecer a alunos e professores alternativas de trabalho e formas de acesso a conteúdos curriculares que as coleções didáticas não trazem.


Temos dois tipos de materiais disponíveis:

 Disciplinares: para usos específicos de uma determinada disciplina.

 Não disciplinares: para abordar o trabalho didático-pedagógico com os primeiros conhecimentos organizados em áreas e/ou disciplinas.

O material não é um roteiro para o professor seguir em suas respectivas aulas, mas sim um material que pretende seduzir, informar, divertir, convencer o público leitor, abordando apenas certos temas ou conteúdos, onde desperta a experiência cultural.

Ninguém se forma como leitor se não interagir, pelo convívio e pela leitura, com os agentes do livro. Pensando em um convívio íntimo e cotidiano com as crianças em sua própria sala de aula, os acervos são verdadeiras janelas, de onde o aluno da escola pública poderá, exatamente como a criança freqüentadora de livrarias, ter uma visão representativa do que a cultura da escrita lhe reserva de interessante.