sábado, 3 de abril de 2010

CIÊNCIAS, HISTÓRIA, GEOGRAFIA, ARTE, MATEMÁTICA, LINGUA PORTUGUESA?

A criança traz para a escola, experiências e curiosidades, envolvendo o universo, pessoas e lugares, fatos e acontecimentos. Esses saberes são fundamentais para a sua aprendizagem escolar, porque toda a construção do conhecimento científico se apóia numa transposição das observações da vida cotidiana.


Os questionamentos das crianças são perguntas vivas e elas não sabem de onde vem as respostas e nem se interessam por saber se aquele conteúdo é de história, geografia, ciências, matemática ou qualquer outro componente. O que interessa a ela, são as respostas que estão sim, interligadas a alguma área do conhecimento.

A busca do conhecimento, passa por temáticas que não devem ser divididas por área do conhecimento, mas sim interligadas.

A interdisciplinariedade será garantida a partir daquilo que é importante para a vida da criança, estabelecendo prioridades para as crianças e as suas necessidades. Isso leva a uma reorganização dos tempos escolares.

Assim é preciso refletir sobre a história da construção do conhecimento em cada área para, a partir dessa reflexão, propor diálogos entre os diferentes saberes.

O conceito de letramento, que remete aos usos da escrita na sociedade, vem sendo desenvolvido nas últimas décadas, como uma das possibilidades de entendermos esse sujeito que aprende e que conversa socialmente.

Do mesmo modo que a escrita, a oralidade deve ser reconhecida como modalidade de diversos usos. Tais domínios, oralidade e escrita, são necessários para que as crianças possam ampliar as suas experiências culturais e desenvolver habilidades de refletir, avaliar, argumentar, formular e testar hipóteses fundamentais para eles se constituírem como sujeitos autônomos.