terça-feira, 12 de junho de 2012

PRESENÇA DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA


Apesar de todos os avanços tecnológicos, a sala de aula, ainda hoje, é um espaço de combinação de atividades entre professor e aluno, caracterizando assim o processo ensino-aprendizagem. Segundo Moran,2008 a escola precisa partir da onde o aluno está suas curiosidades e construir um currículo que faça sentido na sua vida.
            A sala de aula, ao longo dos anos, foi deixando de ser reprodutora de conteúdos, onde só o professor “recitava” e o aluno “entendia” e está passando a ser um modelo de comunicação emergente, constante, focada na interatividade, ou seja, no diálogo. Segundo SILVA, 2010 a interatividade não é apenas fruto de uma tecnicidade informática, mas um processo em curso de reconfiguração das comunicações humanas em toda a sua amplitude. Na nossa estrutura educacional, não temos uma sala de aula interativa na sua totalidade, mas o aluno que a frequenta pede uma nova aprendizagem. A aprendizagem tradicional deixa de ser focada no professor e passa a ser focada no aluno. Aqui ele nos mostra um conceito de interatividade como uma reinvenção da sala de aula em uma prática comunicacional entre os três eixos inter laçados: Aluno Currículo


            A sala de aula tem de ser redefinida como um espaço para informações, para debates, organização de projetos, tornando se espaços de pesquisa, de comunicação online ou intercomunicação. Esse espírito crítico que domina a sociedade de informação, também precisa estar presente na sala de aula, para que não se continue mantendo um diálogo surdo entre Educação e Comunicação. Os alunos se apresentam como novos espectadores, onde aprendem a manipular imagens através das múltiplas intervenções do interlocutor.


          Para (ABTE,1982, pg17), a tecnologia educacional fundamenta-se em uma opção filosófica, centrada no desenvolvimento integral do homem, inserido na dinâmica da transformação social: concretizam-se pela aplicação de novas teorias, princípios, conceitos e técnicas, num esforço permanente de renovação da educação.
Para (Pocho, 2011) a tecnologia é apresentada não como objeto de consumo, mas sim como uma possibilidade educativa. A presença da tecnologia no nosso dia a dia é de fácil constatação, pois ao olhar a nossa volta, veremos a TV, o MP3, o rádio, o quadro negro, o livro. Mesmo com todo esse aparato, a tecnologia ainda não chegou à grande maioria das escolas. Aqui ela relaciona os dois tipos de tecnologias: tecnologias  independentes são as que não dependem de recursos elétricos ou eletrônicos para a sua produção e/ou utilização. Como por exemplo, o próprio livro didático.
Tecnologias dependentes são as que dependem de um ou vários recursos elétricos ou eletrônicos para serem produzidas e/ou utilizadas. Como por exemplo, a Internet.