terça-feira, 22 de março de 2011

MÍDIAS NA ESCOLA – POSSIBILIDADE E REALIDADE

Na escola onde trabalho é pública do Estado de São Paulo, na modalidade de Ensino Fundamental I. Sou responsável pela sala de leitura e com a vinda da SAI – Sala de Informática, também assumi esta sala. No mesmo espaço desenvolvemos a sala de leitura e informática. Montou-se um horário privilegiando todas as salas, num período de duas horas semanais cada uma. Como o espaço e o tempo eram um só e reduzido, dividimos as turmas, revezando um grupo na leitura e outro grupo nos computadores.
Na sociedade de informação onde vivemos, há uma necessidade de colocarmos a informação ao alcance de qualquer pessoa. A Internet pode ser considerada uma tecnologia de inteligência, ao lado da escrita e da impressa, no caso da escola, a disponibilidade de acesso ao livro didático, abrindo assim novas possibilidades cognitivas e intelectuais que extrapolam aquelas oferecidas pelos documentos impressos, de leitura linear.
A biblioteca escolar, no cumprimento de suas funções, deve tornar a Internet uma tecnologia de uso coletivo, multiplicar e otimizar seu uso como recurso educacional para o corpo docente e discente da comunidade escolar.
Os professores começaram a usar esse espaço para pesquisa sobre os conteúdos abordados no livro didático, pois o livro paradidático eles levariam para casa.
O currículo passou a ficar mais rico e os alunos se envolviam mais com a proposta apresentada no livro didático.
O livro didático, deixou de ser um livro de cópia ou lição de casa e passou a ser um instrumento de partida para novos conhecimentos sobre aquele assunto.
Paralelamente a isso, montei um blog WWW.atividadesdeeliana.blogspot.com
onde se apresenta dicas para os professores e alunos de como trabalhar os conteúdos do livro didático com as mídias.
A experiência é boa, mas como todo o projeto, necessita de ajustes. Um deles passa pela formação do professor no uso das tecnologias. Muitos de nossos professores não freqüentam a SAI porque não sabiam lidar com o computador e nem explorar sites de pesquisa.
Com esse diagnóstico, desenvolvemos um projeto “Mídias na Escola”, onde haveria uma formação para professores, no horário coletivo e, além disso, a sala estaria disponível para o professor pesquisar com a minha acessória.
Esse processo levou uns três anos e hoje em dia existe uma freqüência maior dos professores e suas turmas. No planejamento do início do ano, foi questionado como poderíamos otimizar mais o uso dessa sala, sendo que além da SAI, temos também, integrado o Data Show.
Os professores especialistas de Educação Física e Educação Artística se interessaram e, apesar de termos horários da sala só para o professor regente da sala, elaboraríamos um cronograma para que o professor especialista também pudesse desenvolver seu trabalho nesse espaço.